15
jan
09

Realidade imita ficção – Gattaca começa

A matéria é: Nasce o primeiro bebê britânico sem o gene do câncer de mama.

Vamos lá, vou explicar. Alguns anos atrás eu assisti o filme Gattaca, um filme que fala de genética. É o seguinte, se você nasceu com escolha genética, ou seja, espermatozóides e óvulos previamente escolhidos terá um futuro brilhante, mas se você foi gerado na maneira convencional, seu maior cargo de emprego será garí ou faxineiro.

O filme Gattaca – A Experiência Genética, de Andrew Niccol (1997) é um caso exemplar. Apesar de ser um filme de ficção-científica deixa gattaca1claro sua intertextualidade. A partir de um certo momento, Gattaca parece se tornar um filme policial ou de suspense quando a trama narrativa se desloca para a busca do assassino de um dos diretores da corporação Gattaca. No desenrolar da trama, todo o suspense se concentra no personagem Vincent Freeman, um Inválido condenado pelo seu código genético a tarefas degradantes (Freeman significa, literalmente, “homem livre”).

A sociedade de Gattaca está dividida em duas “classes sociais”, os Válidos, os “filhos da Ciência”, produtos da engenharia genética e da eugenia social, e os Inválidos, os “filhos de Deus”, submetidos ao acaso da Natureza e às impurezas genéticas. Gattaca retrata uma sociedade de classe cuja técnica de manipulação do código genético tornou-se prática cotidiana de controle social. Vincent é um jovem ambicioso, que almeja ir além do seu destino genético e decide assumir a personalidade de Jerome Morrow, um Válido que, em virtude de um acidente, ficou paralítico. Utilizando os serviços clandestinos de um “pirata genético”, Vincent clona os registros genéticos de Jerome. Sua ambição é driblar as restrições de classe e se integrar na elite intelectual e moral de Gattaca e realizar seu maior sonho: ir para o planeta Titã, satélite de Júpiter (seria uma alegoria de fuga do sistema do capital, de agudo cariz regressivo, tal como um "retorno ao útero materno"?).  Leia mais.

_944774_insemination150Pois bem, aí leio a matéria:

Nasce o primeiro bebê britânico sem o gene do câncer de mama

Casal optou por embrião selecionado para não ter o gene BRCA1, que aumenta em muito o risco da doença

LONDRES – Primeiro bebê britânico selecionado geneticamente para não ter o gene do câncer de mama nasceu em Londres, informou o hospital do University College. Leia mais.

Sabe, tudo isso me espanta, em breve estaremos vivendo Gattaca. Imagine vivermos dessa maneira? Imagina vivermos seguindo somente nossas vontades, e a natureza? Como fica?
Não sei, mas realmente tenho medo disso…

Anúncios

2 Responses to “Realidade imita ficção – Gattaca começa”


  1. 1 Julia Bruns
    novembro 17, 2009 às 9:32 pm

    Olha, eu nao acredito que ”gattaca” será o nosso futuro!
    e sim eu sou filha de Deus e serei eternamente, muito ”interessante ” o filme, mais eu deixo isso somente como ficçao, nao acredito no filme, por mais interessnte seja
    😀 Obrigada.

  2. 2 Déborah Aline
    fevereiro 17, 2010 às 3:16 pm

    Sinceramente o filme é mmmuuuiiiiito interessante…
    Muito bem elaborado porém não acredito que esse seja o nosso futuro.
    O que acontece é que os cientistas ficam querendo modificar o que Deus criou!E sou sim uma filha de Deus. Obg…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Páginas

janeiro 2009
D S T Q Q S S
« dez   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Blog Stats

  • 213,168 hits

%d blogueiros gostam disto: